O Culto dos Mortos em Sagada

Em Sagada num dia solarengo e de céu azul, fiz um trekking interessante na companhia de Mr. Ingo, um guia local com quem fui até ao vale do Eco. Durante o percurso passámos por algumas paisagens bonitas e agradáveis: pinheiros, plantações de café, um rio subterrâneo, uma caverna, uma mini-cascata, arrozais, sobe e desce em colinas, zonas escorregadias de rocha e lama, formações calcárias, cursos de água e à semelhança do que encontrei em Tana Toraja, caixões suspensos em grandes paredes de rocha. 🙂

IMG_1989 (FILEminimizer)      IMG_1996 (FILEminimizer)

IMG_2017 (FILEminimizer)       IMG_2021 (FILEminimizer)

IMG_2030 (FILEminimizer)

Depois de regressarmos ao centro da vila, enveredei sozinho estrada fora até encontrar a fantástica entrada da Semeangui Cave (caverna grande) e daí parti em busca da Lemagui Cave (caverna dos enterros), onde encontrei múltiplos caixões antigos de madeira a apodrecer e onde já começavam ossos a despontar. Para encontrar este local de culto, demorei duas horas, uma vez que falhei a interseção no trilho. 😛 De qualquer modo, durante esse tempo, andei por estradas tranquilas e fui observando a rural e agradável paisagem em redor de Sagada, os arrozais, as montanhas, os pinheiros, as aldeias e os aldeões. Desse modo, a manhã e o início de tarde foram passadas em deambulações. 🙂

IMG_2056 (FILEminimizer)      IMG_2060 (FILEminimizer)

IMG_2064 (FILEminimizer)       IMG_2104 (FILEminimizer)

IMG_2072 (FILEminimizer)      IMG_2113 (FILEminimizer)

IMG_2123 (FILEminimizer)

No regresso à vila, parei para almoçar no simpático, Sagada Brew  bastante arranjado, para os padrões asiáticos habituais – e daí voltei à guesthouse onde aproveitei para escrever um par de textos para o blog. Enquanto fazia isso, comecei a ouvir um som muito intenso e ao olhar pela janela, vi que estava a chover torreeeeeeeencialmente e que inúmeros raios rasgavam o céu, de forma quase contínua! Automaticamente, abortei a utópica “missão” de ver o pôr do sol e fui a uma pequena casa de impressões, onde encontrei uma internet supeeeeeeeeer-lenta, mas que foi suficiente para enviar um e-mail de parabéns e publicar mais um texto no blog. 🙂 Ao despedir-me de Sagada, pensei: “Adeus, vila tranquila e serena. Adeus, inesquecíveis cavernas. Adeus, antigo culto dos mortos.”

IMG_2132 (FILEminimizer)      IMG_2133 (FILEminimizer)

IMG_2140 (FILEminimizer)      IMG_2141 (FILEminimizer)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s