Viagem ao Coração do Bornéu por Palavras

Nota: Uma vez que a máquina fotográfica estava avariada e eu nesta altura viajava sozinho, a viagem ao coração do Bornéu, apenas pode ser “ilustrada” por palavras.


Ato I – Belaga e as Longhouses

Chegar a Belaga, já bem no interior de Sarawak foi uma longa viagem. Primeiro, apanhei um avião de regresso à cidade de Miri e aí apanhei um autocarro noturno que me levou até à cidade de Sibu (sete horas de viagem). Assim que lá cheguei e como não tinha nenhum interesse em visitar o burgo, comprei o mais rapidamente possível, um bilhete para um barco que me levou pelo larguíssimo Rajang, durante nove horas! Uma maratona de três meios de transporte: ar, terra e água! 🙂

Na chegada à pequena e sonolenta cidade depois de encontrar um pequeno quarto para dormir, procurei Daniel, um senhor que tem contactos com pessoas de tribos das redondezas e com quem defini um “plano” para os próximos dias. Em Belaga, encontrei pessoas muito afáveis e simpáticas, acabando o primeiro dia a comer porco selvagem na grelha e a beber cervejas com Daniel e com os seus filhos (principalmente Rowdy). 🙂

De manhã cedo, parti para a aldeia de Lang Liteu num barquito de madeira e durante a viagem senti uma enorme felicidade por estar ali naquele momento (no meio do todo-poderoso Rajang com o sol a bater-me na cara). 😀 Na longhouse fui recebido na casa de Mandam e Gemate um casal que tem quatro filhos e duas filhas e presentemente seis netos.

Ao longo do dia, “recolhi” mais informações: estava na companhia de uma tribo Kajeman e nesta as mulheres mais idosas têm tatuagens no peito dos pés e nos braços, abaixo da linha dos cotovelos; quase todas as pessoas mascam umas raízes vermelhas, enroladas numas folhas que estão untadas com baba de caracol e que deixam a boca completamente vermelha (parece que a boca está toda ensanguentada), apesar do efeito visual bastante estranho, estes “ingredientes” em conjunto funcionam como prevenção contra infeções 😉 ; percebi que uma longhouse é uma casa de rés-de-chão muito comprida com um alpendre em todo o seu comprimento e comum a todas as famílias. Esta grande casa está dividida em casas individuais mais pequenas e que estão alinhadas lado a lado, permitindo uma vida muito próxima e em comunidade.

Para além de “recolher” informações, passeei ao longo da longhouse, dos seus arredores e vi casas de madeira e telhados de zinco, trilhos de terra vermelha, plantações de arroz, selva em redor da aldeia em todas as direções (exceto a do rio). Encontrei duas camponesas com as quais fumei um cigarro de enrolar em forma de cone e cheio de um tabaco mais forte. 😛 Falei com o Mandam e todas as minhas refeições foram com a sua família. Diverti-me a observar as suas netas que ainda estão a aprender a andar e que fazem birras para lhes darem atenção – como todas as crianças/bebés do nosso planeta 🙂 – e a expressão terna de Mandam, como avô babado. 😀 Vi-o no processo de cozer/arranjar uma rede de pesca. Fui pescar com ele e nesse final de tarde vi uma gloriosa transição entre o dia e a noite (as cores, os relâmpagos, o rio na penumbra e na escuridão, o sentimento de uma experiência única…) 😀 . Tomei banho com água de um barril. E o meu dia terminou quando assisti a um serão em família à porta de casa (bebés a dançar, avôs babados, nativos a fumar)… vida simples, vida tranquila, vida serena! 😀

P.S. – Num dia tão pacífico apenas houve uma nota negativa, porém a mesma foi suficiente para ensombrar, um bocadinho, toda a experiência. Esse momento ocorreu quando fui pressionado pelo meu anfitrião a comprar duas garrafas de vinho de arroz. Apesar de fazer parte da tradição (que eu desconhecia), a sua atitude não me pareceu bonita e eu não gostei do seu comportamento de cobrança! :/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s