Pedalando em Phonsavanh

Ato V – O Kiri também Voa

A estrada onde pedalávamos estava em boas condições, mas as rampas inclinadas e a impossibilidade de pormos mudanças, fazia com que existissem momentos em que tivéssemos que desmontar das “biclas” e levá-las pela mão colina acima. O facto positivo é que depois das subidas, geralmente seguiam-se descidas e foi numa delas que voei qual super-homem. 😛 Mas vamos aos factos…


Depois da compra de dois ananases e quase no final de uma mega descida, seguia montado na bicla, quando ouvi um pequeno ruído metálico e senti a roda da frente a ficar ligeiramente presa. Quando olhei para perceber o motivo, já era tarde demais! :/ A roda dianteira bloqueou completamente enquanto a traseira continuou a girar. O resultado foi a bicicleta empinar bruscamente para a frente, qual uma égua selvagem e catapultar-me – nesse momento pensei: “ Ai, F#$@-$%! Já foste!” – por cima da bicicleta, fazendo-me aterrar violentamente de peito num dos ananases. Prostrado e com a face colada ao solo, estive aproximadamente dois minutos, porém esse tempo esticou e pareceu uma eternidade. Nessa altura, pensei: “Que tralho FDP! Espero não ter nada partido”.

IMG_7944 (FILEminimizer)

Finalmente, levantei-me e pus-me a observar os estragos causados no impacto: pára-sol da máquina fotográfica partido em dois, um dos ananases esmagado – o outro sobreviveu – a mão direita sangrava e o pulso esquerdo tinha escoriações. A T-shirt cinzenta/creme e os calções estavam sujos de terra e por fim a bicicleta ficou com a roda da frente praticamente bloqueada. Depois de a observar, percebi finalmente, o que aconteceu. O barulho metálico que ouvi, foi causado pelos parafusos que prendiam o cesto que caíram e isso provocou uma reação em cadeia:  o cesto descaiu, pressionou o guarda-lamas contra a roda, esta parou de girar e… PUM, CATRAPUM! Kiri a voar, mas sem se magoar… muito! 😛

IMG_7945 (FILEminimizer)

Nessa altura, o Zhou não estava no horizonte e fui andando com a bicicleta pela mão até uma casa, onde por gestos consegui comunicar e lavar o sangue da ferida da mão direita. Para além disso e por sorte em frente da casa, estava uma carrinha de uma oficina e ao mostrar a bicicleta ao mecânico, este resolveu-me o problema com um sorriso na face… 🙂

IMG_7946 (FILEminimizer)

Voltei a montar a bicla e quando cheguei ao pé do Zhou – que me aguardava numa curva mais adiante – estava bastante irritado pois não conseguia perceber porque é que ele não tinha voltado atrás para me ajudar. Foi então que ele me explicou que não tinha visto nada pois já estava muito para a frente do local, onde voei qual águia imperial… 😛

IMG_8016 (FILEminimizer)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s