Uma Geografia. Uma Fotografia: Ramelau

img_5444_fb

A viagem à montanha mais elevada de Timor Leste foi um longo processo físico e mental, primeiro a viagem até à junção da estrada que seguia para Hatubuilico foi um verdadeiro “massacre” – temporal – cinco horas para percorrer oitenta quilómetros!! E de desconforto, pois a estrada estava em péssimas condições, a carrinha estava lotadíssima e era extremamente desconfortável. Quando finalmente coloquei os pés no solo e comecei a caminhar a paisagem era bela – verdes vales e serras, nuvens de múltiplos cinzentos, sol e pedacitos de céu azul. A segunda parte da viagem foi uma travessia de dezoito quilómetros, estrada fora que me levou até à vila de Hatubuilico, já nas imediações da montanha Ramelau e durante a mesma aproveitei para fotografar a bonita paisagem: as transições do céu cinzento e neblina para chuva, as plantações, as casas tradicionais, os cavalos, as vacas, as cabras; sentir o ambiente fresco e cheio de água que me envolvia; e pensar que os meus amigos e amigas vão tendo filhos, outros casando… e eu seguia a caminhar por aquelas terras timorenses. A última fase foi realizada sob o signo de um “desguia” minorca – em termos de idade -, de noite, em modo escorregadio e molhado, “tropeçante”, ventosa e na chegada ao topo apenas consegui ver uma estátua de Nossa Senhora envolta num denso nevoeiro. À medida que descemos, o dia foi clareando e apesar da neblina reinante, o Ramelau revelou-se uma montanha verde, de árvores místicas e mágicas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s