Em trânsito: Koh Phi Phi – Pulau Pangkor. Cruzando Fronteiras

Ato II – Malásia Side

Às 6.00 da manhã já estávamos acordados e prontos para seguir até um novo país. Mas não se pode dizer que estivéssemos frescos, pois à longa viagem do dia anterior juntou-se uma noite dormida miseravelmente, fruto do quarto “fabuloso” mas principalmente da preocupação que se apoderou dos nossos espíritos… uma vez que na noite anterior marcámos um hotel num resort em Pulau Pangkor e posteriormente vimos que a ilha ficava longíssimo da fronteira – “apenas” trezentos e cinquenta quilómetros! Para fazer em transportes públicos! E sem a noção de horários das ligações terrestres e marítimas… – caricato! Na única vez que tínhamos marcado um hotel realmente bom, havia a fortíssima probabilidade de não conseguirmos chegar a tempo de dormir a primeira noite. :/

A andar, rumámos para fronteira e à medida que o fazíamos, senti um nervoso miudinho pois não tinha nenhum comprovativo de saída da Malásia. A saída da Tailândia estava mais do que garantida mas… e a entrada no nosso destino imediato? Porém e após o controlo de passaporte em ambos os postos de  fronteira, a minha preocupação revelou-se totalmente infundada, pois ao olhar para o passaporte vi um carimbo que mostrava noventa dias! E sem pagar! 🙂 Já com a burocracia resolvida entrámos oficialmente na Malásia e à semelhança da passagem da China para o Laos, a fronteira foi cruzada a caminhar de mochila às costas. 🙂

Às 8.00 entrámos oficialmente na cidade Malaia de Padang Besar – o nome é exatamente igual ao da cidade da Tailândia! – e depois de levantarmos dinheiro, tentámos encontrar autocarros que nos levassem mais para sul. Quando chegámos à estação, a mesma estava fechada e com um aviso no portão a informar que apenas abria às 10.00! :/ Sentámo-nos no chão, abri o laptop e comecei a procurar alguma informação no guia da Lonely Planet. Esta cidade era muito menos desenvolvida do que imaginara e como não oferecia alternativas imediatas, disse à M. que tínhamos de ir para Kangar o mais rapidamente possível. Não existindo autocarros, tivemos de apanhar um táxi. No terminal, fiquei super admirado quando vi o valor da viagem afixado e o taxista a não querer negociar o preço! Depois das mafiosices constantes do sul da Tailândia, esta clareza era uma boa mudança! Ainda para mais quando o valor para fazer os trinta e poucos quilómetros se revelou justo. 🙂

De táxi, chegámos à estação de Kangar às 9.40 e já na bilheteira perguntei se existia um autocarro para Ipoh – a maior cidade do centro da Malásia e que tinha ligação com Lumut, a cidade portuária onde teríamos que apanhar o barco para Pulau Pangkor. Porém e felizmente a M. disse para reformular a pergunta para Lumut e assim fiz e… não é que havia um autocarro direto!? Pois é! Tudo indicava que estávamos “safos” e nesse momento as nossas probabilidades de chegar a Pulau Pangkor passaram de uma miragem para uma certeza absoluta. Que alívio! 😀

Antes de embarcarmos decidimos comer e pela primeira vez tivemos contacto com a comida Malaia  cheiro forte a especiarias, pratos com caril, picante q.b., muita variedade. Escolhemos o que queríamos comer e quando estávamos para pagar, um desconhecido que estava no balcão, apontou para a nossa mesa e fez sinal ao empregado que iria pagar-nos a refeição. Eu e a M. dissemos que não. Que não podíamos aceitar e ele respondeu-nos: ”Don´t be shy.” E acabou mesmo por pagar tudo! Comovidos com a bondade deste senhor, ficámos de lágrimas nos olhos e só pudemos dizer obrigado, várias vezes. 🙂

IMG_2661 (FILEminimizer)

Quando entrámos no autocarro, os assentos pareciam umas autênticas poltronas! 😀 Nunca tinha visto nada assim. Pusemo-nos à vontade e enquanto a M. dormia eu aproveitei para atualizar o caderno. A viagem até Lumut foi muito tranquila e confortável e com uma paragem que fizemos em Ipoh para mudarmos de autocarro, a mesma durou seis horas e meia! Já em Lumut e depois de verificarmos que havia muitas opções para posteriormente irmos para Kuala Lumpur, andámos dois minutos a pé até ao cais de embarque, onde apanhámos o barco. A viagem foi feita já com o sol em rota descendente e a paisagem revelou uma ilha muita verde. Já em Pulau Pangkor apanhámos uma carrinha táxi cor-de-rosa, de valor fixo até ao nosso hotel e já na receção demos com a conta impressa e o recibo pronto! Ehhhh, eficiência! 🙂 Quando chegámos ao quarto ficámos bastante agradados com o mesmo e depois de um mergulho na bonita piscina, jantámos num pequeno restaurante. Depois da refeição, voltámos ao quarto, onde aterrámos na cama, cansados das múltiplas viagens dos dias anteriores e de todo o carrossel de emoções que fomos vivendo.

No barco     IMG_2681 (FILEminimizer)

IMG_2693 (FILEminimizer)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s